Recorde de expansão do sistema elétrico não segura alta no preço da energia fsads

A capacidade de geração de energia no país teve crescimento recorde em 2016, de acordo com o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). A inauguração de novos empreendimentos de geração adicionou 8.611 MW de potência instalada no país. O montante é 15% superior ao observado em 2014, ano do recorde de expansão anterior.

Até 15/10/16, o acompanhamento da expansão da oferta de geração de energia elétrica instalada era de 7.726,5 MW. A ANEEL especificou que, nesse período, mais da metade da potência foi proveniente da energia hidráulica. Em segundo lugar, o destaque ficou para a energia eólica, representando 2.115 MW da potência total instalada.

Fonte: ANEEL (http://www.aneel.gov.br/acompanhamento-da-expansao-da-oferta-de-geracao-de-energia-eletrica)

Fonte: ANEEL (http://www.aneel.gov.br/acompanhamento-da-expansao-da-oferta-de-geracao-de-energia-eletrica)

Ainda segundo o CMSE, essa potência instalada é capaz de garantir risco zero de racionamento de energia até o fim de 2016 no Sudeste/Centro-Oeste e no Nordeste. Já para 2017, os riscos crescem 0,9% e 0,1%, respectivamente, mesmo com os baixos níveis dos reservatórios e vazões nos submercados. Para calcular as projeções, o Comitê considerou a configuração do sistema do Programa Mensal de Operação (PMO) de novembro de 2016.

O preço da segurança

Apesar da segurança no fornecimento de energia divulgada pelo CMSE para atendimento do consumo, há necessidade de utilizar fontes com custo elevado. A geração hidrelétrica tem sido afetada pelo baixo nível dos reservatórios. Ao mesmo tempo, o desempenho do período chuvoso de 2017 permanece uma incógnita. Com isso, é necessário acionar as usinas térmicas, cujos altos custos são refletidos no Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) e, consequentemente, nas bandeiras tarifárias no mercado cativo e nos contratos firmados no mercado livre.

O PLD aumentou quase quatro vezes nos últimos cinco meses. Na quarta semana de junho, o preço estava em R$ 61,80/MWh em todos os submercados, e, no início de novembro, chegou a R$ 241,65/MWh. Ainda em novembro, o governo determinou a aplicação da Bandeira Amarela, sinalizando um acréscimo de R$ 1,50 a cada 100kWh consumidos, após sete meses consecutivos de Bandeira Verde.

Como reduzir custos na sua empresa

Separamos 6 dicas para te ajudar com a economia de energia no final do mês.

Baixar ebook

Mais notícias sobre Energia Renovável