Saiba mais sobre a modalidade que permite ao consumidor gerar a sua própria energia a partir de fontes renováveis e dividi-la com outras casas e empresas

A Geração Distribuída (GD) é uma modalidade que é tendência mundial e está em constante crescimento, capaz de gerar benefícios aos consumidores como economia, eficiência, independência e sustentabilidade.

Ela surgiu no Brasil em 2012, quando a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) criou uma norma para permitir aos brasileiros produzir a sua própria eletricidade a partir de fontes renováveis e fornecer o excedente para a rede de distribuição.

Em 2015, com o aumento de pessoas querendo fazer parte da GD e com os objetivos da ANEEL de ampliar o acesso da modalidade a mais consumidores e diminuir custos e tempo para instalação de usinas de energia, a Agência criou quatro modalidades de produção de eletricidade:

  • geração distribuída junto à carga;
  • geração em condomínios ou empreendimento com múltiplas unidades consumidoras;
  • autoconsumo remoto;
  • e geração distribuída compartilhada (GDC).

Neste artigo, vamos abordar as duas últimas.

>> Saiba mais sobre a Evolução da Geração Distribuída no Brasil

Geração Distribuída Compartilhada (GDC)

A GDC surgiu a partir da Resolução ANEEL nº 687/2015, permitindo a união de consumidores conectados à mesma distribuidora para o compartilhamento de uma usina de micro ou minigeração distribuída de energia.

Como funciona?

  • Os interessados podem se reunir por meio de consórcio ou cooperativa (pessoas jurídicas e pessoas físicas);
  • Investem ou alugam um lote da usina que, por sua vez, deve estar conectada na mesma distribuidora em que estão suas cargas;
  • A energia gerada é injetada na rede da concessionária;
  • Como a central geradora não está no mesmo local onde a eletricidade será consumida, a geração é convertida em créditos de energia que serão abatidos da conta de luz.

Vantagens e benefícios da GDC

Econômicos

  • Trabalha com economia de escala, o que faz com que os custos com logística, manutenção e instalação sejam menores em comparação a uma instalação residencial - e compartilhados entre todos os participantes do consórcio/cooperativa;
  • O sistema se paga a longo prazo, porque os equipamentos possuem alta durabilidade;
  • Você ou sua empresa podem gerar créditos de energia por meio de cotas, economizando na conta de luz no fim do mês;
  • Mesmo estando no mercado cativo, o consumidor consegue gerar energia e reduzir seus custos com ela;
  • Possibilita o compartilhamento de geração de energia entre clientes de uma instalação de geração única;
  • Otimiza os valores de consumo, pois aquilo que não é consumido é convertido em créditos de energia.

Ambientais

  • Menor impacto na natureza pela durabilidade dos equipamentos (no caso da solar, os painéis possuem uma vida útil de até 25 anos);
    Não existe desperdício ou perda de energia devido à gestão dos créditos de energia gerados;
  • Permite que você tenha acesso a energia limpa, mesmo não havendo geradoras de energia renovável na sua localidade.

O que é gestão de créditos de energia?

A energia injetada na rede é revertida em créditos que, por sua vez, são usados para compensar os custos dos consumidores vinculados à central geradora. Caso o consumo de um determinado mês seja inferior à geração do mesmo período, esses créditos podem ser utilizados em até 60 meses, ou seja, 5 anos. É o caso da microgeração por fonte fotovoltaica, na qual a rede “armazena” as sobras de eletricidade como uma bateria e devolve à concessionária para que ela administre a distribuição. Veja:

Créditos energéticos

1- Geração
Quando a produção energética excede o consumo, a energia é injetada na rede da concessionária.

2- Medidor
Isso faz com que se medidor de energia gire no sentido contrário, produzindo créditos de energia

3- Rede Elétrica
Esses créditos serão consumidos posteriormente quando não houver geração.

Autoconsumo remoto X Geração Distribuída Compartilhada

A ANEEL também disponibilizou a modalidade de autoconsumo remoto. Apesar de possuírem vantagens similares como o uso de créditos de energia, ambas apresentam uma principal diferença:

  • Na GDC duas ou mais pessoas (físicas ou jurídicas) se reúnem para gerar a energia que querem consumir e compartilham entre si.
  • No autoconsumo remoto um único sujeito (físico ou jurídico) desenvolve a central geradora e pode compartilhar a eletricidade produzida entre os diversos estabelecimentos ou residências que estejam vinculados ao seu CPF ou CNPJ desde que, claro, estejam conectados à mesma concessionária de distribuição de energia elétrica.

Autoconsumo remoto


Duas ou mais unidades consumidoras que pertencem ao mesmo titular (pessoa física ou jurídica)

Geração Compartilhada


Consumidores diversos reunidos em cooperativa ou consórcio.



Geração Distribuída ou Mercado Livre de Energia?

Com uma das tarifas de energia mais caras do mundo, o Brasil tem crescido muito no mercado livre de energia (MLE), que permite ao consumidor negociar o preço da sua energia elétrica diretamente com as geradoras e comercializadoras. No entanto, para migrar para o MLE o consumidor precisa ter uma demanda mínima de 500 kW, impossibilitando a migração de diversos consumidores - desde empresas até residências.

Enquanto o MLE não está aberto a todos os consumidores, a Geração Distribuída pode ser uma excelente alternativa para quem quer ter autonomia, reduzir o valor da conta de luz, mitigar os impactos de bandeiras tarifárias ou aumentos repassados pelas distribuidoras de energia, além de contribuir para a preservação do meio ambiente. Muitas empresas que já atuam no mercado livre também oferecem essas soluções, como a Comerc - por meio da Sou Vagalume.

Faça parte da Geração Compartilhada com a SOU VAGALUME*! 
*atualmente disponível para a concessão da CEMIG

Em quatro passos você pode ter acesso a essa modalidade de produção de energia:

  1. Simule sua economia na Sou Vagalume acessando o site www.souvagalume.com.br;
  2. Consulte os planos de energia solar desenhados para a sua necessidade;
  3. Faça a adesão a uma das fazendas solares e continue recebendo a energia por sua distribuidora local;
  4. Usufrua dos descontos na sua conta.

Veja porque tudo isso é possível:

Fonte Sou Vagalume: https://www.souvagalume.com.br/

A Sou Vagalume é uma empresa da Comerc que apresenta economia com sustentabilidade para empresas, condomínios, propriedades rurais e residências.

Veja como a Sou Vagalume pode fazer diferença na sua conta de energia:

Fonte Sou Vagalume: https://www.souvagalume.com.br/

Com a Sou Vagalume você garante:

  • liberdade de escolha na sua energia com transparência e economia na conta de luz;
  • uso de energia limpa, renovável e confiável;
  • adesão a descontos tarifários na conta de luz comum;
  • acesso à energia digital, sem investimentos e obras de autoprodução de energia. 


 

Como reduzir custos na sua empresa

Separamos 6 dicas para te ajudar com a economia de energia no final do mês.

Baixar ebook

Mais notícias sobre Energia Renovável