O mundo enfrenta hoje graves crises ambientais, que s√£o reflexo de uma rela√ß√£o de explora√ß√£o desequilibrada dos nossos recursos naturais diante de uma economia que gira em torno de grandes produ√ß√Ķes.

Desde o come√ßo da Revolu√ß√£o Industrial, as emiss√Ķes de Gases de Efeito Estufa (GEE), principalmente o g√°s carb√īnico, aumentaram de maneira intensa, associado sobretudo ao uso de combust√≠veis f√≥sseis.

Quando os dados sobre mudan√ßas clim√°ticas, esgotamento dos recursos e qualidade dos ecossistemas passaram a ser analisados com mais aten√ß√£o, os pa√≠ses se prontificaram em buscar solu√ß√Ķes que pudessem equilibrar os sistemas de produ√ß√£o com um uso mais consciente do meio ambiente.

Estudando caminhos e colocando a pauta ambiental em discuss√Ķes econ√īmicas e pol√≠ticas, foi definido no Acordo de Paris que a estrat√©gia que melhor atende as necessidades socioambientais sem interferir no ritmo de desenvolvimento das na√ß√Ķes, √© a neutraliza√ß√£o de carbono.

‚Äč

Neutralização de Carbono

Mas, afinal de contas, o que é a neutralização de carbono?

A neutralização (ou neutralidade) nada mais é do que o balanceamento de carbono na atmosfera.

Ou seja, quando uma atividade ou um processo industrial emite uma certa quantidade de GEE, que inclui dióxido de carbono, metano e óxido nitroso, é necessário que haja um processo de remoção desses gases, através de projetos específicos, que neutralizam a quantidade dos mesmos na atmosfera, reduzindo, assim, a quantidade de gases poluentes no ar.

Esse equil√≠brio pode ser realizado atrav√©s de diferentes a√ß√Ķes, de acordo com a necessidade:

  • Descarte de res√≠duos em locais apropriados e compostagem de org√Ęnicos;
  • Uso eficiente dos recursos naturais;
  • Utilizar fontes de energias renov√°veis;
  • Desenvolvimento de produtos e processos produtivos mais eficientes no uso de recursos naturais;
  • Redu√ß√£o do consumo sup√©rfluo de quaisquer itens (alimenta√ß√£o, vestu√°rio);
  • Plantio de √°rvores.

Essas são algumas das principais técnicas utilizadas para minimizar a emissão de carbono e reverter os efeitos do gás já presentes na atmosfera.

Especialistas afirmam que at√© 2050, √© poss√≠vel atingir a neutralidade de carbono e limitar o aquecimento global a 1,5¬ļC. √Č necess√°rio, por√©m, que haja um esfor√ßo global com mudan√ßas s√≥cio-pol√≠ticas imediatas para atingir esse objetivo.

A pr√≥pria Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas (ONU) vem tra√ßando metas a curto prazo para cumprir esse prazo, como:

- Cessar as constru√ß√Ķes de novas usinas el√©tricas de carv√£o, um dos grandes respons√°veis por emiss√Ķes de gases estufa;

- Fixar valores para emiss√Ķes de carbono que auxilie no investimento para eliminar e desenvolver alternativas para emiss√Ķes reduzidas;

- Divulgar obrigatoriamente os riscos financeiros relacionados ao clima;

- Integrar a neutraliza√ß√£o de carbono em decis√Ķes econ√īmicas, tribut√°rias e de investimento aos pa√≠ses;

√Č importante deixar claro que a responsabilidade para a redu√ß√£o de emiss√Ķes √© global e n√£o cabe apenas a um ou outro pa√≠s agir para mitigar os riscos causados pelas emiss√Ķes, sendo, ent√£o, necess√°rio que haja um trabalho de conscientiza√ß√£o no mundo todo para esclarecer os benef√≠cios e riscos da neutraliza√ß√£o de carbono.


>> Leia mais sobre esse tema no blog Panorama e saiba como a neutraliza√ß√£o de carbono se relaciona com a sustentabilidade.

 

Net Zero: Um objetivo comum para o setor

Em meio a diferentes informa√ß√Ķes sobre estrat√©gias e metas a serem alcan√ßadas referente a neutralidade de carbono, surgiu um conceito interessante que vem crescendo entre empresas.

Quando adaptamos sistemas e compensamos a poluição emitida, equilibrando o sistema de forma que os poluentes entrem e saiam da atmosfera na mesma proporção, aderimos aos mecanismos de neutralização de carbono.

Neutraliza√ß√£o, como o pr√≥prio nome diz, significa chegar a uma equa√ß√£o neutra. Isso quer dizer que continuaremos registrando grandes emiss√Ķes de poluentes, mas haver√° uma grande mobiliza√ß√£o para compensar, com a√ß√Ķes sustent√°veis, os impactos causados.

J√° quando falamos em Net Zero, o conceito vai mais al√©m e abrange modifica√ß√Ķes profundas nos sistemas de produ√ß√£o. Para uma empresa se tornar Net Zero, ela dever√° substituir qualquer processo que emita poluentes, em todos os n√≠veis de produ√ß√£o e servi√ßo.

Ou seja, a responsabilidade de ser uma empresa Net Zero envolve cuidar das rela√ß√Ķes com seus fornecedores e clientes, garantido que todos os envolvidos dentro da cadeia comercial estejam de acordo com a pr√°tica de eliminar qualquer tipo de emiss√£o.

Claramente, √© um processo muito mais complexo do que apenas reduzir e compensar os impactos causados. As mudan√ßas s√£o estruturais, sociais e econ√īmicas, redirecionando seu neg√≥cio para uma perspectiva totalmente sustent√°vel.

As corpora√ß√Ķes que se envolvem no projeto precisam se responsabilizar pela rede como um todo, aumentando o potencial sustent√°vel.

Ao nos aprofundar no tema e analisar empresas que já são Net Zero, encontramos três principais escopos que determinam o tipo de modificação necessária para alcançar as metas estipuladas.

Quando falamos em Escopo 1, nos referimos √†s emiss√Ķes de poluentes feitas diretamente pela empresa, seja pelo transporte, pela estrutura ou pelos processos de produ√ß√£o dentro do estabelecimento.

O Escopo 2 está relacionado aos gases emitidos de forma indireta, de acordo com o tipo de energia contratada e o funcionamento de grandes máquinas e equipamentos (aquecimento e refrigeração), onde as empresas têm responsabilidade parcial.

Por fim, todo o restante das emiss√Ķes geradas de forma indireta dentro das cadeias de produ√ß√£o se refere ao Escopo 3. Esse grupo √© o mais dif√≠cil de se ter controle, pois considera emiss√Ķes residuais que s√£o dadas como "imposs√≠veis" de serem zeradas.

Por isso, se tornar uma empresa Net Zero traz grandes obst√°culos e pode ser bastante trabalhoso. Mas com a onda de incentivos sobre o tema, a popula√ß√£o tem entendido a import√Ęncia de adotarmos maneiras mais conscientes de lidar com o meio.

O engajamento das institui√ß√Ķes e dos governos sobre o assunto traz previs√Ķes otimistas para os pr√≥ximos anos, mostrando que muitas organiza√ß√Ķes est√£o dispostas a enfrentar os desafios para alcan√ßar o escopo 3 e se tornar Net Zero.

Entenda detalhes do Escopo 1, 2 e 3 com a Comerc Energia:

 

Benefícios que a Jornada Net Zero pode trazer ao seu negócio

Além dos benefícios globais que a neutralização de carbono traz, como evitar maiores e mais graves mudanças e catástrofes climáticas, há outras vantagens, mais palpáveis e visíveis para a sociedade em geral:

  • Incentivo a um crescimento econ√īmico sustent√°vel
  • Aumento da seguran√ßa alimentar
  • Melhoria da situa√ß√£o dos oceanos e da biodiversidade no planeta
  • Redu√ß√£o da polui√ß√£o ambiental

Há também benefícios e vantagens para as empresas que se comprometem a alcançar a neutralização de carbono.

Além de estabelecer a responsabilidade ambiental como valor à empresa e seus produtos e tornar seu negócio sustentável, a neutralidade também viabiliza o engajamento e a retenção de novos talentos para o quadro de funcionários.

Isso acontece pelo simples fato de que um neg√≥cio sustent√°vel √© mais atrativo para o mercado e consequentemente para o p√ļblico, que na hora de escolher, opta por empresas que tenham um prop√≥sito claro atrelado √† sustentabilidade.

Benefícios

 

Desafios e Oportunidades da Jornada Net Zero

Podemos dizer que com grandes objetivos, vêm grandes desafios e por isso não podemos deixar de falar que a corrida pelo Net Zero acontecer até 2050 apresenta alguns obstáculos consideráveis.

Os pontos mais importantes apresentados pela ONU para que seja poss√≠vel alcan√ßar as metas, destacam o protagonismo das fontes de energia limpa, a quantidade de emiss√Ķes de di√≥xido de carbono ser inferior ao resgate desse g√°s da atmosfera e a substitui√ß√£o do combust√≠vel f√≥ssil.

Na teoria, essas a√ß√Ķes s√£o extremamente poss√≠veis. Por√©m, ao aplicar isso em diferentes pa√≠ses vemos uma discrep√Ęncia entre o que √© vi√°vel e o que √© distante para as realidades de cada lugar.

Temos 28 anos para reformar todos os sistemas de produção e circulação, o que exige altos investimentos nos pontos destacados. Para alguns países, a transição energética é possível dentro desse prazo, para outros, não.

Al√©m disso, √© complexo garantir que todos os pa√≠ses consigam deixar a marca de emiss√Ķes inferior ao do resgate de CO2 da atmosfera, o que refor√ßaria a continuidade de pr√°ticas voltadas para o cr√©dito de carbono.

Olhando pelo lado dos investidores, √© um momento excelente para aplicar capital em projetos, tecnologias e a√ß√Ķes sustent√°veis, pois h√° grande perspectiva de retornos financeiros a longo prazo. O mercado de carbono tamb√©m se potencializa com o aumento de iniciativas de neutraliza√ß√£o.

O desenvolvimento sustent√°vel √© um mercado do futuro que atinge diferentes setores. Al√©m do movimento positivo em rela√ß√£o √† neutralidade clim√°tica por parte das organiza√ß√Ķes, a conscientiza√ß√£o social tamb√©m tem papel fundamental para que o mundo alcance as metas.

Ouça o Comercast com nossos especialistas sobre o Comerc Impacta, o novo produto da Comerc para colaborar com o seu plano de descarbonização:

 

Conte com um time de especialistas no processo de jornada de descarbonização da sua empresa

Um tema t√£o fundamental e importante para a sa√ļde do planeta se fortalece tamb√©m com as a√ß√Ķes positivas de pequenas e m√©dias empresas.

Por esse motivo, se você tem interesse em saber mais sobre os processos de descarbonização, mas acha que não será impactante para a jornada mundial, converse com um time de especialistas e repense.

Nossas a√ß√Ķes di√°rias refletem direta e indiretamente no quadro geral de um futuro mais saud√°vel para o planeta. As medidas podem come√ßar por pessoas, que inspiram empresas e alcan√ßam governos.

Para te ajudar a dar o primeiro passo, √© importante entender como sua empresa prejudica o meio ambiente e quais a√ß√Ķes s√£o vi√°veis para implementar sem que prejudique sua produtividade.

Conhe√ßa empresas que j√° apoiam essas iniciativas, estude sobre o tema e elabore um plano de a√ß√£o junto com a Comerc. A nossa estrutura √© ancorada em cinco verticais de neg√≥cios, o que engloba mais √°reas e situa√ß√Ķes de neg√≥cio.

Juntas, nossas solu√ß√Ķes tornam fact√≠vel o caminho para a descarboniza√ß√£o do seu neg√≥cio. N√£o perca mais tempo e embarque nessa jornada com a Comerc Energia.

 

T√° esperando o qu√™? Entre em contato e migre para o Mercado Livre com a Comerc Energia! 

 

Como reduzir custos na sua empresa

Separamos 6 dicas para te ajudar com a economia de energia no final do mês.

Baixar ebook

Mais notícias sobre Energia Renovável