• O ONS, na 1ª revisão quadrimestral, reduziu a previsão de carga no SIN em -3% em 2015 e -5% entre 2016 e 2019
Fonte: ONS

Fonte: ONS

Em janeiro de 2015, o ONS publicou a previsão de carga para os anos de 2015 a 2019 (PEN 2015-2019) com a premissa de que a taxa de crescimento do PIB brasileiro seria de 3,4% a.a, determinada pela EPE. A partir da revisão do desempenho econômico para 2015, o ONS reduziu a estimativa de carga, em média, de 3.380 MWmédios (a.a) na 1ª Revisão Quadrimestral da Carga, apresentada em reunião no escritório do Operador, em 27 de abril de 2015. Em 2015, a previsão da carga foi revista de 67.260 MWmédios para 65.179 MWmédios, uma variação de -3%. Para efeito comparativo, a carga em 2014 foi de 61.484 MWmédios.

Essa variação da previsão da carga indica menor atividade econômica do país e o primeiros reflexos da redução do consumo residencial. Neste último caso, a redução do consumo foi influenciada pelo aumento das tarifas das distribuidoras de energia, que chegaram a subir mais de 30%.

A menor necessidade da carga de energia terá impacto na conservação do nível dos reservatórios e em uma possível redução do Custo Marginal de Operação (CMO). O modelo de otimização, NEWAVE, processará essa nova informação da carga com menor necessidade de geração, e a consequente manutenção do nível dos reservatórios.

Quando a 1ª Revisão Quadrimestral da Carga for divulgada, com as informações completas incluindo as variações por submercado, a Comerc fará um estudo de sensibilidade sobre a possível redução do CMO.

Como reduzir custos na sua empresa

Separamos 6 dicas para te ajudar com a economia de energia no final do mês.

Baixar ebook

Mais notícias sobre Energia Renovável