Destaque
Compartilhar

Flexibilização de medidas de isolamento estabiliza consumo de energia no mercado livre, aponta Índice Comerc

Por Comerc Energia 27/07/2020

Retomada da atividade industrial se intensifica em julho, fazendo com que o consumo de energia no mercado livre no período se aproxime do patamar de 2019

Após meses consecutivos de queda acentuada, o consumo de energia no mercado livre deu os primeiros sinais de recuperação em maio, com alta de 3,97% em comparação a abril, e fechou junho com alta de 6,54% no acumulado em comparação ao mês anterior. É o que aponta o Índice Comerc, que apura o consumo de energia nos 11 principais setores econômicos.

Pela primeira vez desde janeiro deste ano, todos os setores analisados pelo Índice Comerc registraram aumento no consumo de energia em junho em relação ao mês anterior. Esse aquecimento está alinhado com o avanço de 7% da produção industrial brasileira em maio, segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – que, somado às medidas de flexibilização da quarentena, indicam um possível reaquecimento da economia após meses de retração.

Ao que tudo indica, a retomada iniciada a partir da segunda quinzena de junho se intensifica ainda mais em julho. De acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, nos 10 primeiros dias do mês, a retração do mercado livre foi de apenas 0,5% em comparação ao mesmo período de 2019, praticamente recuperando a demanda verificada um ano antes.

“Em junho, notamos uma tendência à desaceleração na queda do consumo de energia e isso tem se intensificado semana a semana. Apesar de ser uma retomada modesta, é um alívio após meses de retração em todos os setores econômicos. Nossa expectativa é alcançar crescimento a ritmo mais acelerado nos próximos meses e confirmar a tese de que o pior da crise já passou”, comenta Marcelo Ávila, vice-presidente da Comerc Energia.

Comparativo setorial

Em junho, o aumento mais expressivo no consumo de energia ficou por conta de Veículos e Autopeças (alta de 28,56% em junho, após alta também em maio – 39,39% ante abril), refletindo ao aumento na produção de veículos, que mais que dobrou no mês passado — 98,7 mil unidades contra 43,1 mil em maio.

Na sequência, vemos Manufaturados, com alta de 23,48% em junho em comparação a maio/2020 e de 2,16% na comparação com junho/2019, sendo o único setor a apresentar crescimento também perante o ano anterior, o que se reflete nas vendas para o consumidor final – que tiveram aumento de 10,3% na comparação com junho do ano passado, somando R$ 23,9 bilhões por dia.

“Ainda é cedo para afirmar se teremos mudanças no comportamento do consumidor ou da indústria, bem como para saber quão rápida será a retomada da economia. De qualquer forma, o cenário de junho e julho é mais favorável que o dos meses anteriores, indicando que o desempenho no segundo semestre pode trazer boas surpresas”, pondera Ávila.

Metodologia

O Índice Comerc Energia, publicado mensalmente, leva em conta o consumo de mais de 2.300 unidades de sua carteira, pertencentes aproximadamente 1.100 empresas que compram energia elétrica no mercado livre.

0 Comentários