Quais são os cuidados necessários para aumentar ou reduzir a demanda contratada?

Entenda quais são os passos para mudar a demanda contratada de energia

No contrato com a distribuidora, o consumidor precisa definir qual é a sua demanda de energia no pico máximo de consumo, que acontece quando a maior quantidade de equipamentos está sendo usada simultaneamente.

É essa demanda contratada que é usada como critério na migração para o mercado livre. 500 kW de demanda é o valor mínimo exigido para tornar-se um consumidor especial (que consome energia exclusivamente de fontes renováveis) e a partir de 3.000 kW é a demanda para ser um consumidor livre (que pode comprar energia de fontes convencionais e renováveis).

A partir de julho de 2019, esses valores de exigência vão mudar (Clique aqui para ler a matéria sobre essa mudança).

Caso o consumidor precise reduzir ou aumentar a sua demanda contratada, ele precisa ter alguns cuidados, seja ele um consumidor do mercado livre ou do mercado cativo. O nosso webinário de dezembro abordou esse tema e explica quais são os passos que o consumidor precisa seguir para qualquer alteração.

Aumento de demanda

Caso o consumidor precise aumentar a sua demanda contratada de energia, ele precisa notificar a Distribuidora, que tem até 30 dias para responder. Caso esse aumento não interfira significativamente na rede de distribuição, a resposta é enviada com o aditivo do CUSD (Contrato de Uso de Distribuição).

Mas se a distribuidora precisar fazer qualquer obra para atender essa nova demanda, o consumidor pode ter que arcar com parte do custo dessa obra.

Uma vez implantada a nova demanda o consumidor e distribuidora têm três meses para os testes. Caso o consumidor precisa ajustar essa demanda, ele tem esse período para definir a real demanda, desde que ela esteja dentro do limite de 50% do aumento solicitado.

Redução de demanda 

Já no caso de redução da demanda, o consumidor também precisa informar a distribuidora que tem até 30 dias para responder. Se não for necessário nenhum recálculo de obrigações financeiras, a resposta será enviada com o aditivo da CUSD, que começa a valer após 90 ou 180 dias, dependendo da tensão de fornecimento da unidade consumidora, uma vez que a distribuidora tem obrigações com as transmissoras e precisa se organizar para que não tenha grandes impactos.

Já que a redução não exige obras, o consumidor não tem nenhum custo com isso. Mas os consumidores precisam ter alguns cuidados ao fazer essa solicitação.

Consumidor livre: O consumidor livre precisa atentar-se para não diminuir a demanda a ponto de sair dos critérios exigidos para o mercado livre de energia. A nova demanda deverá ser informada à CCEE.

Consumidor regulado: O consumidor do ambiente regulado precisa se preocupar para não reduzir a demanda abaixo do critério mínimo exigido pela distribuidora.

Caso o consumidor precise de um novo pedido de redução, ele precisa esperar o prazo mínimo de 12 meses para uma nova solicitação.

É importante reforçar que novos pedidos de aumento de demanda devem passar pelos os mesmos passos do item anterior.