Comerc Energia economizará R$ 2,7 bilhões para seus clientes em 2018

Montante é 50% superior ao registrado no ano de 2017, quando a economia foi de R$ 1,79 bilhão

Os clientes da Comerc Gestão, maior gestora de energia do País, economizarão em suas contas de energia R$ 2,7 bilhões em relação ao que pagariam, caso estivessem no ambiente de contratação regulada. A soma é 50% maior do que a registrada no ano passado, quando a economia atingiu o patamar de R$ 1,79 bilhão.

“Este ano representa, de longe, o maior crescimento na economia que geramos aos nossos clientes. Partimos de um patamar de R$ 1,25 bilhão em 2016 para mais que dobrar neste ano, o que é um exemplo da dedicação de todo o time da Comerc na geração de benefícios cada vez maiores para nossos clientes”, afirma Cristopher Vlavianos, presidente da Comerc.

Nesse mesmo período, a empresa partiu de um portfólio inicial composto de 820 clientes para 910 em 2018, ou seja, um incremento de cerca de 10%. Paralelamente, o faturamento da companhia cresceu de R$ 1,8 bilhão em 2017 para uma estimativa de ultrapassar os R$ 2,4 bilhões neste ano.

Para sustentar essa estratégia de crescimento, a empresa ampliou seu time de colaboradores, que passou de 229 profissionais em 2017 para os recentes 319, o que significa um aumento na força de trabalho de 39%. A Comerc detém hoje uma participação de 15% do mercado livre e 5% de toda a energia consumida no Brasil, somando mais de 3.000 MW médios gerenciados.

4 Sobradinhos de potência

Nos últimos dois anos, a companhia ampliou sua carteira de gestão de geradores em 74%, passando a oferecer o equivalente a 4 usinas de Sobradinho, na Bahia, em potência. Hoje, a Comerc Energia, por meio de sua unidade de Gestão de Geradores, conta com portfólio composto de 122 hidrelétricas, termelétricas de biomassas diversas, eólicas e fotovoltaicas, distribuídas por 15 estados brasileiros.

No mapa das usinas clientes da Comerc Energia, entre geradores e autoprodutores, há 52 termelétricas, abrangendo fontes como licor negro – derivado do processo de beneficiamento de papel e celulose – cana-de-açúcar, milho, eucalipto e gás de alto forno. As eólicas estão em segundo lugar, com 43 unidades, seguidas das fotovoltaicas (13) e hidráulicas (11 unidades).

Quando se leva em conta a potência, as termelétricas lideram com folga: detêm quase 60% da potência, ou 2.717 MW. Em segundo estão as eólicas, com 1.016 MW, seguidas pelas fotovoltaicas (470 MW) e as hidráulicas, com 315,9 MW.

Regionalmente, as regiões os estados com maior concentração de usinas são São Paulo com 27, seguido por Rio Grande do Norte (18), Minas Gerais e Bahia (16 cada), Rio Grande do Sul (14) e Goiás (8).