Desafios do preço horário no Brasil

CCEE promove encontro com autoridades e especialistas para discutir a implantação do preço horário no país

No dia 23 de março de 2018, a CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) realizou um Fórum de Debates sobre a Modernização do Setor Elétrico em que o tema principal era “Preços Horários”. O evento contou com a presença de Cristopher Vlavianos, presidente da Comerc Energia, como debatedor do Painel “A implantação do preço horário”, em uma mesa com representantes do ONS (Operador Nacional de Sistema), EPE (Empresa de Pesquisa Energética), CCEE, Furnas e EDP. Vlavianos destacou o crescimento da capacidade instalada das fontes eólicas e solares nos últimos anos, além da projeção de crescimento futuro da geração solar, conforme gráfico abaixo.

A redução da capacidade de regularização dos reservatórios nos últimos anos somado ao crescimento das fontes intermitentes (solar e eólica) necessitarão de uma curva de carga horária para cumprir com a geração do país, o que resulta na urgência do preço horário.

Os testes para o preço horário começarão em abril e se estenderão até o segundo semestre. O cronograma oficial prevê que a implantação ocorra até 2019, o que exigirá uma reformulação das regras de comercialização e contabilização, conforme mencionado pelo Conselheiro da CCEE Roberto Castro. Uma das preocupações é a transparência dessas mudanças com os agentes de mercado.

Como destaque também houve a abertura do encontro realizada pelo Ministro de Minas de Energia, Fernando Coelho Filho, que teve tom de despedida, uma vez que ele deixa o Ministério no dia 04 de abril. O Ministro agradeceu os 23 meses à frente do ministério e destacou a aproximação da conversa do Ministério de Minas e Energia com os agentes de mercado do Setor Elétrico, além da defesa de uma pauta para o Setor com a inclusão da privatização da Eletrobras.

A CCEE disponibilizou todas as apresentações, clique aqui e confira.